JPS GROUP - Entrevista com João Sousa

A JPS GROUP é um grupo empresarial português cujo core business é o investimento e promoção imobiliária, através de uma forte componente financeira e uma vasta rede de investidores e parceiros nacionais e internacionais. A JPS GROUP tem uma estruturada multidisciplinar, capaz de satisfazer as necessidades de rentabilização dos ativos imobiliários sob gestão. Desenvolve projetos em modelos de negócio sólidos, com o objetivo de criar mais-valias sustentáveis e inovadoras.

Conta com uma equipa com vasta experiência, composta por mais de 70 pessoas, que trabalha diariamente para atingir os níveis de excelência nos seus projetos. O conceito integrado da JPS GROUP permite alcançar valores competitivos, sem descurar a alta qualidade. Oferece, igualmente, serviços de consultoria e gere empreendimentos já desenvolvidos. Desta forma, todos os produtos permitem gerar altos níveis de rentabilidade

JPS GROUP is a Portuguese business group whose core business is investment and real estate promotion, through a strong financial component and a vast network of investors and national and international partners.

João Sousa, é um empresário Português, com uma licenciatura em Direito; Consultor jurídico em várias empresas ligadas ao ramo imobiliário, nacionais e internacionais; Consultor de investimentos imobiliários, de fundos e bancos em Portugal desde 2004; Fundador e CEO da JPS GROUP, promotor nacional que detém um grupo empresarial que é composto por varias empresas ligadas ao ramo imobiliário, desde a construtora Amazing Falcon até imobiliária Real Estate By JPS GROUP.

<INPM> Como surgiu o projeto actual?

Atenta às oportunidades de mercado, a JPS GROUP abraçou a promoção imobiliária para dar resposta às necessidades dos portugueses. Numa altura em que existia um grande investimento na reabilitação do centro histórico de Lisboa, fomos pioneiros na construção de obra nova em grande escala, para a classe média e média alta, na fase pós-crise. E, fomos seguidos, posteriormente, por muitos outros promotores que estavam nessa altura centrados apenas na reabilitação.

Esse talvez tenha sido o nosso maior contributo para o mercado imobiliário, pois os clientes portugueses simplesmente não tinham capacidade para adquirir os produtos que o mercado estava a oferecer. Nós ajudamos a mostrar que esse era o caminho, ao abraçar um projeto com mais de 120.000 m2 de construção e ao vendermos a sua totalidade ainda em planta.


<INPM> Investir em PORTUGAL e nesta área, quais os desafios?

Um dos desafios é encontrar o produto certo para desenvolver com o preço justo. O que atualmente não é muito fácil, sobretudo com taxas de IVA a 23% na construção nova. É muito complicado conseguir preços que o cliente final consiga pagar, embora todos os dias trabalhemos nesse sentido e temos conseguido. A acrescer as estas duas e importantes questões, as burocracias e atrasos nas entidades que licenciam. Contudo, o setor está muito mais profissionalizado e atento. Os promotores cada vez mais se preparam para os desafios que vão surgindo, e um dos grandes desafios é construir com qualidade e oferecer conceitos sempre inovadores a um preço acessível.

Dinamizar o mercado imobiliário é uma das nossas responsabilidades. Somos uma empresa que dispõe de um conjunto de serviços integrados em todo o âmbito da promoção imobiliária e desenvolvimento imobiliário, desde a área de projeto até à venda e respetiva pós-venda. Não somos um promotor que apenas promove: nós pensamos, criamos, desenvolvemos e vendemos. Isto tudo com equipas próprias de arquitetura, engenharia, marketing, construção e comercial. Temos um conceito integrado que nos permite conseguir preços mais competitivos para o nosso público alvo, sempre sem descurar a alta qualidade.

E uma outra situação, que é percebermos que temos de trabalhar para o cliente. Isso é fundamental. Um grande desafio nesta área é fidelizar os clientes, sobretudo num mercado com cada vez mais oferta. E nós conquistamos a confiança dos nossos clientes pela proximidade e a comunicação constante e fluída que mantemos.

<INPM> Estão ativos em internacionalização?

A internacionalização é uma das nossas grandes apostas deste ano. Temos cada vez mais procura por parte de clientes estrangeiros, dos mais diversos países da Europa, Brasil, Estados Unidos e Médio Oriente. Tal acontece não só pela relação qualidade preço dos nossos produtos, como também pelo facto de apostarmos cada vez mais em produtos com rendimento garantido. No início do ano fizemos uma grande aposta fora da área de Lisboa, em Óbidos, o Royal Evolutee Villas & Apartments. Este é um empreendimento localizado numa área paradisíaca, com vistas para a lagoa e mar, inserido num campo de golfe, e tem tido uma grande procura por parte dos mercados internacionais, sobretudo por parte de mercados como o brasileiro, americano e do médio oriente. Este é um produto muito apelativo porque além de ser constituído por moradias, dispõe de apartamentos T0+T1 com rendimento garantido de 5%. E acreditamos que a nossa internacionalização passa muito por apostar em produtos não só apelativos para estrangeiros que queiram residir em Portugal, como também para investidores que procurem ativos imobiliários com altos yields. Temos a convicção que o investimento no imobiliário residencial vai continuar a ser uma excelente opção de investimento e vai continuar a ter muita procura interna e externa.



<INPM>Existem GAPS em Portugal na sua área de negócio? Como os observa e o consegue enquadrar e gerir no projeto “empresa”?

O principal gap neste mercado é a diferença entre a oferta e a procura, aliado à queda do poder de compra por parte das família portuguesas. Muitas pessoas querem, de facto, adquirir casa mas muitas vezes ou não conseguem chegar aos valores praticados no mercado, ou não querem abdicar de certas áreas geográficas. E, tal faz com que esta decisão vá sendo adiada. A nossa missão no mercado imobiliário é exatamente conseguir suavizar este gap. Trabalhamos todos os dias com o intuito de construir para os portugueses, com qualidade e valores adequados às carteiras destas famílias. E conseguimos distinguir-nos pela qualidade dos nossos produtos e pelos preços que praticamos. Tudo isso faz a diferença.

<INPM> Em sua opinião, Portugal vale a pena nesta área?

Sim, e muito. Mesmo em tempo de pandemia, a Imprensa internacional continua a incentivar o investimento no imobiliário português. E, as razões são várias. Portugal tem um dos melhores climas da Europa e uma gastronomia muito apreciada. Além disso, a capital portuguesa beneficia de muitas rotas aéreas diretas provenientes das mais importantes cidades do mundo. E, muitas dessas rotas europeias, são operadas por companhia low cost.

O turismo é outra das vantagens. Portugal é um dos países mais procurados por várias nacionalidades para passar férias. E, por mais que o mercado tenha crescido, a verdade é que investir em Portugal e na capital portuguesa não chega a dois terços do investimento feito por menos m2 em cidades europeias como Londres, Paris ou Berlim. É possível que o investimento abrande com a pandemia, contudo, acreditamos numa recuperação em "V", por vários motivos. Não estávamos preparados como estamos hoje, atualmente, o sector apresenta uma realidade muito diferente.

E Portugal, como até já foi comprovado por alguns estudos internacionais realizados já nesta fase, continua a ser um dos países que mais aliciam os investidores.



JPS GROUP has a multidisciplinary structure, capable of meeting the needs for profitability of real estate assets under management. Develops projects in solid business models, with the objective of creating sustainable and innovative gains.

It has a team with extensive experience, made up of more than 70 people, who work daily to achieve the levels of excellence in their projects.

The integrated concept of JPS GROUP allows you to achieve competitive values, without neglecting high quality. It also offers consulting services and manages projects already developed. In this way, all products allow to generate high levels of profitability

João Sousa, is a Portuguese businessman, with a law degree; Legal consultant in several companies related to real estate, national and international; Consultant for real estate investments, funds and banks in Portugal since 2004; - Founder and CEO of JPS GROUP, national promoter that owns a business group that is composed of several companies related to the real estate sector, from the construction company Amazing Falcon to real estate Real Estate By JPS GROUP.

<INPM> How did the current project come about?

Aware of market opportunities, JPS GROUP embraced real estate development to meet the needs of the Portuguese. At a time when there was a major investment in the rehabilitation of the historic center of Lisbon, we were pioneers in the construction of new large-scale construction, for the middle and upper middle class, in the post-crisis phase. And, we were followed, later, by many other promoters who were at that time focused only on rehabilitation.

This may have been our biggest contribution to the real estate market, as Portuguese customers simply did not have the capacity to purchase the products that the market was offering. We helped to show that this was the way, by embracing a project with more than 120,000 m2 of construction and by selling all of it still in plan.


<INPM> Investing in PORTUGAL and in this area, what are the challenges?

One of the challenges is to find the right product to develop at the right price. This is not very easy today, especially with 23% VAT rates on new construction. It is very complicated to get prices that the end customer can pay, although every day we work towards that and we have been able to. In addition to these two important issues, bureaucracies and delays in the entities they license. However, the sector is much more professional and attentive. Promoters are increasingly preparing for the challenges that arise, and one of the great challenges is to build with quality and offer always innovative concepts at an affordable price. Stimulating the real estate market is one of our responsibilities. We are a company that has a set of integrated services in the entire real estate development and real estate development field, from the project area to the sale and respective post-sale. We are not a promoter who only promotes: we think, create, develop and sell. All this with its own architecture, engineering, marketing, construction and commercial teams. We have an integrated concept that allows us to achieve more competitive prices for our target audience, always without neglecting high quality.

And another situation, which is to realize that we have to work for the client. This is fundamental. A major challenge in this area is to retain customers, especially in a market with an increasing supply. And we earn the trust of our customers through proximity and the constant and fluid communication that we maintain.


<INPM> Are you active in internationalization?

Internationalization is one of our big bets this year. We have an increasing demand from foreign customers, from the most diverse countries in Europe, Brazil, the United States and the Middle East. This happens not only because of the quality-price ratio of our products, but also because we are betting more and more on products with guaranteed income.

At the beginning of the year we made a big bet outside the Lisbon area, in Óbidos, the Royal Evolutee Villas & Apartments. This is a development located in a paradisiacal area, overlooking the lagoon and the sea, inserted in a golf course, and has been in great demand by international markets, especially by markets such as the Brazilian, the American and the Middle East. This is a very appealing product because in addition to being made up of houses, it has T0 + T1 apartments with a guaranteed yield of 5%.

And we believe that our internationalization involves a lot of betting on products that are not only appealing to foreigners who want to live in Portugal, but also for investors looking for high yield real estate assets. We are convinced that investment in residential real estate will continue to be an excellent investment option and will continue to have a lot of internal and external demand.


<INPM> Are there GAPS in Portugal in your business area? How do you observe them and manage to frame and manage them in the “company” project?

The main gap in this market is the difference between supply and demand, coupled with the drop in purchasing power by Portuguese families. Many people do, in fact, want to acquire a house, but often they either fail to reach the values

practiced in the market, or do not want to give up certain geographical areas. And, this causes this decision to be postponed. Our mission in the real estate market is exactly to close this gap. We work every day in order to build for the Portuguese, with quality and values

appropriate to the portfolios of these families. And we are able to distinguish ourselves by the quality of our products and the prices we charge. All of this makes difference.

<INPM> In your opinion, is Portugal worth it in this area?

Yes, and a lot. Even in a time of pandemic, the international press continues to encourage investment in Portuguese real estate. And, the reasons are several. Portugal has one of the best climates in Europe and a highly appreciated gastronomy. In addition, the Portuguese capital benefits from many direct air routes from the most important cities in the world. And, many of these European routes are operated by a low cost company. Tourism is another advantage. Portugal is one of the most sought after countries by various nationalities to spend holidays. And as much as the market has grown, the truth is that investing in Portugal and in the Portuguese capital does not reach two thirds of the investment made for less m2 in European cities like London, Paris or Berlin. It is possible that investment will slow down with the pandemic, however, we believe in a "V" recovery, for several reasons. We were not prepared as we are today, the sector presents a very different reality.

And Portugal, as has already been proven by some international studies carried out at this stage, remains a countries that most attract investors.


Editio 7 INPortugal Business & People Magazine


0 visualização
0CARRINHO
Quem somos